Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

blogue do siman

escritor • crítico • diretor de teatro • editor

há de se tomar cuidado co'a polícia quando se fizer 18 anos

Junho 24, 2017

a cena do filme "paris, texas", de 1984, dirigido por wim wenders

ontem fiz aniversário. mamãe, sempre carinhosa, foi a primeira a me dizer: cuidado com a polícia — você vai fazer 18, já pode ser preso. depois, ziza saygli disse o mesmo, sem que eu a dissesse da advertência de mamãe; depois, nena de castro repetiu; depois gely fantini; e então larissa. ara! tão me achando com cara de quê?

pensei que ia dormir tranquilo e acordar na manhã do dia 22 com uma barba enorme na cara. hoje é 23 — nem penugem! vida cruel! e não era pra eu ter essa dificuldade toda de embarbar, já que descendo de árabes. um dia ainda fico bonito pros outros (pros outros, porque pra mim já sou lindo).

me lembrei duma cena que marcou minha vida, é do filme paris, texas, de wim wenders. travis (papel do gênio harry dean stanton) se vê no rosto de jane (interpretada pela maravilhosa nastassja kinski). eta, que só esse jogo de câmera me fez chorar cântaros...

outra coisa que eu me lembrei: quando estava eu, madrugada chuvosa, passeando pelo parque ipanema deserto, todo omirde, com meu guardachuvinha, uma viatura da polícia veio me lambendo, parou, eu continuei andando sem olhar pro lado, daí eles deram uma sirenada de aviso. voltei. "boa noite", disse ao policial. "o que cê tá fazendo aqui?", perguntou-me delicadamente o senhor policial; "passeando, uai", respondi com ar de bobo. "onde cê mora?", "canaãzinho", "quantos anos você tem?", "16", "o que tem na sua bolsa?", "livro". foi só eu falar que tinha livro que ele saiu. nem me deu a honra da revista. acho que ele era alérgico a livros, como as crianças de admirável mundo novo.

todo mundo tem me falando muito pra parar de fumar. ara! tem é graça! eu passei minha adolescência toda com uma dificuldade imensa pra comprar cigarro (você já é dimaió? — perguntavam-me as atendentes de padarias. já, claro, mas não trouxe identidade — respondia. e muitas vezes era barrado e tinha que comprar cigarro paraguai no buteco da esquina). imagina só, agora, que eu fiz 18, vou parar de fumar... ai, ai!

outra coisa que também me deixa muito feliz é poder beber tranquilo. bebia com o cu trancado. é como diria o querido zé nunes da silva, marido da nua arteira, minha deusa: "não confio em homem que não bebe".

entrei na "vibe dos 18" (é o que diria gustavo nascimento, a vona), e vou aproveitá-la — e sofrê-la. vai ter que me aguentar por muito tempo ainda, vida adulta!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D