Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

blogue do siman

escritor • crítico • diretor de teatro • editor

pra não esquecer aquele rapaz que não lembro o nome

Novembro 20, 2017

notepad_bloc_notes_15548.png

agora há pouco estava deitado e me veio uma lembrança agradável dum homem que me possuiu em 24 de dezembro do ano passado (2016), que chegou aqui em casa por volta das três da madrugada fria e partiu às seis da manhã quase ensolarada. lembro-me de todos os detalhes. nos amamos, tomamos banho, conversamos sobre filosofia (helenistas, socráticos, medievais...), religião, política... daí me levantei pra fazer um café, tomamos. fui ligar pra um táxi vir levá-lo de mim; ele se aproximou, me abraçou por trás, beijou-me tranquilamente e me levou pra cama outra vez. mais um banho. fomos à procura do táxi à pé. nos despedimos — ele é de beagá.

dei uma volta, à tarde ele me ligou dizendo que voltaria. nos amamos sob o chuveiro por mais de hora e meia. depois deitamos no sofá (minha cabeça em seu colo). ouvimos e cantamos rita lee (até hoje toda vez que ouço rita lembro-me dele). mostrei-lhe um cronto que escrevi pensando nele assim que partiu pela manhã. um beijo carinhoso. conversamos sobre filhos, casamentos, história e acidentes. ele foi.

de manhã tinha pensado que nunca mais o veria; ele voltou à tarde. à tarde pensei que voltaríamos a nos ver com frequência; nunca mais nos vimos, nem nos falamos.

pra você ver, leitor, que eu não me esqueço nunca de momentos, mas de nomes... ih!

agora alcançaremos o clímax do texto: eu estava deitado há pouco lembrando-me de tudo isso, rindo feito bobo, quando franzo as sobrancelhas e me pergunto: “qual é o nome dele mesmo?” puta que me pariu!... e nada de lembrar!

daí me dei conta de que tinha escrito aquele cronto e que tinha colocado o nome dele lá. revirei minhas caixas, procurando um por um, olhando os títulos de cada folha cuidadosamente e tenho uma luz: bruno! isto! é bruno o nome do rapaz! eureca!

nem arrumei os papéis espalhados pela casa e vim correndo escrever isto antes que me esqueça de novo. agora vou ter que emoldurar esta folha e botar na cabeceira da minha cama. e olha que um dos meus maiores medos sempre foi ter alzheimer — minha família tem uma lista imensa de gente que ficou caduca. ieu, hein!? deus quime livre!

 

obs.: bruno, se você ler isto, peço perdão pelo esquecimento (que está longe de desconsideração, claro). sinto saudade — do café, da filosofia, da rita, da miríade de momentos curtos, de tudo. beijos.

 

madrugada de 17 de junho de 2017

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D